FALA DO MINISTRO PROVINCIAL DA ITÁLIA ACERCA DE BELÉM DO SOLIMÕES  - publicado em 7 de março de 2014


 Caros confrades,
Paz e bem!
Partilho com vocês, em primeiro lugar, a experiência de ter concluído a visita fraterna nos conventos da Província Seráfica, e acompanhado de todo o Conselho, de dois a quatro dias, conforme a presença numérica em cada fraternidade. Justamente esta foi a beleza desta experiência, pois todo o Conselho se fez presente. Momentos fortes foram as celebrações eucarísticas durante os dias das visitas, bem como os capítulos locais vivamente participados.
É com este entusiasmo fraterno destas visitas nas fraternidades da Província, que venho realizar esta visita aos confrades da nossa Custódia do Amazonas e Roraima.
(...)
Falando desta realidade missionária, como não olhar com atenção Belém do Solimões. É necessário consolidarmos a nossa presença, com frades que tenham esta vocação missionária. Ficamos muito impressionados em ver como o povo clama para que ali fiquemos. Concretamente, estruturaríamos uma fraternidade estável com três frades (e não menos). Em nome da Província Seráfica, me comprometo em enviar mais um frade, mesmo um pós-noviço que se prepara à profissão perpétua, ao menos até o Capítulo.
Todas essas impressões e clamores missionários, contudo, não podem estar desligados do testemunho de nossa forma de vida franciscano-capuchinha. Vem-me de recordar a insistência feita à Ordem e também diretamente a nós pelo nosso Ministro Geral Fr. Mauro Jöhri, “de não deixarmos os frades sozinhos nas casas”, mas de constituirmos fraternidades de ao menos quatro frades (ou, considerando a realidade missionária da Custódia, três frades, mas não menos!).
(...)
Deus abençoe a todos!
Frei Celestino, Provincial da Úmbria.